quinta-feira, 8 de novembro de 2007

O Olhar do Narcisista

Um dia disse alguém que não se deve pensar de si mesmo além do que convém. Ora, veja bem! Como pensar além, sem ver-se muito bem? Ver-se, ater-se, não se conter e ver-se muito mais. Mais do que é visto, isto e muito mais! Mais que mais!

Cada vez mais absorvido pelo próprio olhar não percebe o perigo de por si se encantar. Encanto enquanto olhar. Olhar tanto quanto amar. Amar-se e iludir-se no enlace do olhar. Olhar encarcerado pelo desejo. Desejo pelo próprio ser. Ser projetado, manufaturado pelo olhar. Olhar de quem olha pra se auto-admirar. Há de mirar, sentir e focar, até que se funda em si mesmo a imagem do olhar. Olhar e ver-se e vice e versa.

Ver mais que se é. Ser no próprio olhar, submerso no seu finito universo. Universo de o próprio olhar. Olhar que vai e vem até não mais voltar.

Um comentário:

. disse...

São textos maravilhosos e que precisam ser lidos por todos.
Parabéns meu amigo Cláudio!